Delícias a la mexicana

Sorvetes artesanais com peso duas vezes maior que o dos picolés tradicionais conquistaram os mineiros

CALOR, SOMBRA, água fresca e muito sor­vete. Com as altas temperaturas na região metropolitana de Belo Horizonte, todos os recursos para se refrescar são bem-vin­dos, e, seguindo esse nicho do mercado, um produto em especial vem conquis­tando o paladar dos mineiros: as paletas mexicanas. O sorvete artesanal, com 120 gramas (duas vezes maior que um picolé normal) e com recheios variados, como leite condensado, doce de leite ou calda de morango, já pode ser encontrado em diversos shoppings da capital mineira e também em cidades como Contagem e Betim. Uma alternativa saborosa e sofisticada de espantar o calor e uma grande oportunidade para empresários do setor de alimentos aumentarem seus lucros.

A Palecolé é uma franquia de paletas que passou a atuar na Grande BH. Em janeiro, a marca instalou o seu primeiro quiosque no Metropolitan Shopping, em Betim. Localizada no espaço gourmet do centro de compras, a Palecolé oferece 18 sabores de paletas. Entre os carros-chefe da marca estão sabores bem brasileiros, como açaí com banana, cupuaçu com lei­te condensado e chocolate com morango. Além de Betim, a marca também pode ser encontrada em Santa Catarina, Paraná e São Paulo. “Temos grandes planos de expansão em Minas Gerais. Até o fim de 2015, a Palecolé pretende abrir 30 unida­des no Estado e aumentar a rede, que já está presente em Belo Horizonte, Uber­lândia e Poços de Caldas”, explica o dire­tor máster da franquia em Minas Gerais, Rafael Corte, ao ressaltar que, em breve, será aberta uma fábrica própria na capi­tal. “Hoje, a mais próxima fica no Paraná”, completa.

Outra gigante das paletas no Brasil e que também atua em Minas Gerais é a He­lado Monterrey. Com 74 unidades espalha­das por Estados como São Paulo, Sergipe, Bahia, Goiás e Ceará, só em 2014, a fran­quia encerrou o ano com um faturamento mensal de R$ 1,5 milhão e 5 milhões de paletas vendidas, sendo mais de 1,5 mi­lhão só no mês de dezembro. O segredo para tanto sucesso, garante o empresário e responsável pela franquia em Minas Ge­rais, José Neto, deve-se ao fato de esse sorvete arte­sanal ser uma opção mais natural e saudável do que os produtos tradicional­mente comercializados no mercado. “As paletas não são cheias de conservantes, como os sorvetes industria­lizados mais conhecidos”, salienta. Em Belo Horizonte, os quiosques da marca po­dem ser vistos nos shoppings Cidade, Diamond Mall, Estação BH e tam­bém no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins. O preço de cada igua­ria varia entre R$ 6 e R$ 8, dependendo do sabor e do recheio.

SABORES DIFERENCIADOS

As paletas podem ser cremosas, re­cheadas, premium e frutadas, ou seja, recheadas com frutas. No caso da Helado Monterrey e da Palecolé, os empresários responsáveis pelas franquias em Minas afirmam que a preferência, tanto nacional quanto mineira, é pela paleta de morango recheada com leite condensado. Contu­do, ainda é possível saborear os produtos de coco com brigadeiro, amora com io­gurte, manga, kiwi e açaí. “Para fevereiro, estamos preparando a chegada de novos sabores, que estão sendo desenvolvidos, por um mestre sorveteiro, de acordo com o gosto do brasileiro. “Entre as novida­des, teremos picolés de torta de limão e de mouse de maracujá”, revela José Neto, da Helado Monterrey.

Quem provou a iguaria e recomenda é a estudante de nutrição Paula Rosendo, 17, moradora do bairro Brasileia, em Be­tim. Paula conheceu o sorvete assim que a novidade começou a ser comercializada em um famoso shopping da capital. Des­de então, ela consome as paletas com muita frequência. “A paleta é muito mais saborosa que os picolés comuns. Meus sa­bores preferidos são os de morango com leite condensado e de nutella (creme de avelã com chocolate)”, finaliza.

SAIBA MAIS

Apesar de terem chegado ao país somente em 2012, as paletas mexicanas são velhas conhecidas no México, país onde esses picolés surgiram. Feitas de forma artesanal, elas se diferenciam pelo formato, quadrado, e, principalmente, pelo tamanho: pesam 120 gramas de sorvete, o dobro de um picolé normal. Ao contrário do Brasil, lá, as paletas são produzidas com frutas tipicamente mexicanas, como tamarindo, além de se apresentarem com sabores mais apimentados.

Por: Viviane Rocha

 

 

Franquia Bebelu Sanduíches fatura R$ 120 mil ao mês

A marca começou a expansão por meio do franchising em 2005 e hoje conta com 68 unidades

São Paulo –A rede Bebelu Sanduíches está presente em 16 estados e foi fundada em 1986, em Fortaleza. Entrou no franchising em 2005 e hoje conta com 68 unidades.

Para abrir uma loja da marca, é preciso ter uma área mínima de 36 metros quadrados. O faturamento médio mensal por unidade é de 120 mil reais. A equipe varia de acordo com o tamanho da franquia, de 12 a 18 funcionários.

Investimento inicial: de 300 mil a 500 mil reais
Prazo de retorno do capital: a partir de 18 meses

 

Por: Camila Lam

Fonte: Exame.com

Franquia de paletas mexicanas abre as portas em Pinheiros

rede de franquias Palecolé inaugura sua segunda loja na capital. A loja será instalada em Pinheiros, na Rua Teodoro Sampaio, 1020- loja 1, no dia 20/12. Está será a quarta loja da rede no estado de São Paulo, que já conta com unidades em Marília, Itapecerica da Serra e no bairro da Mooca, na capital. A franquia nasceu em Santa Catarina, Balneário Camboriú e tem conquistado cada vez mais o público. Para desenvolver o negócio nas principais regiões do país, a Palecolé adotou o sistema de Máster Franqueado. Quem comanda as operações no estado de São Paulo é o empresário Teddy L. Moraes, que tem grande expectativa de sucesso. “Mais uma excelente opção de paleteria na cidade, que certamente agradará o requintado paladar do paulistano”, diz Teddy. O cardápio da Palecolé conta com 21 sabores. São quatro de frutas, oito cremosos, sete recheados e dois especiais. Entre as exclusivas, destaque para a de cupuaçu recheada com leite condensado. As paletas, que são maiores que os picolés convencionais, têm, em média, 120 gramas e custam entre R$6 e R$8 reais. O grande diferencial da marca é a aposta num produto mais saudável. “As paletas não contêm conservantes, corantes ou gordura vegetal, além de não passarem por grandes processos industrializados. Na fabricação, usamos produtos naturais, ou seja, o sabor e a cor vêm direto da fruta. Diferem dos picolés comuns por serem maiores e demorarem mais para derreter”, explica Teddy. Por: Michele Rios Fonte: investimentosenoticias.com.br
Tire suas dúvidas