Com início em carrinho de lanches, rede cearense Bebelu vira a 5ª franquia de fast-food do Brasil

No início conhecida como Babalu, a marca Bebelu começou em Fortaleza, conquistou espaço nas regiões Sul e Sudeste do país e pretende chegar a 200 lanchonetes até 2017

 
As combinações nos sanduíches para além do hambúrguer e salada surgiram para matar a fome dos amigos após noites de festas na cozinha do fundador da marca, Dernier Pessoas Rios, em 1986. “Naquela época não tinha opções de lanchonetes na madrugada”, comentou Rony Xinemes, que viria a se tornar diretor da Bebelu Lanches 18 anos depois.Os sabores ganharam ar comercial  em um carrinho de lanches ambulante montado na calçada da residência da família de Dernier, na Av. Sargento Hermínio, no Bairro Monte Castelo, em Fortaleza.
As vendas aumentaram e o carrinho improvisado transformou-se em um trailler. “Ele era gordinho e baixinho e chamavam ele de Babalu por causa do chiclete”, justifica o primeiro nome da empresa o atual diretor.

 

A marca enfrentou dificuldades para ser patenteada devido a um processo da Adams, fabricante do Babalu. Após uma pesquisa, a rede fast-food foi renomeada para Bebelu.Concorrente “mordida-a-mordida” com gigantes do ramo fast-food, a empresa cearense Bebelu conseguiu ocupar um lugar de destaque no setor alimentício nacional. A marca que começou em um carrinho de lanches na calçada, hoje se multiplicou em 80 lojas e conquistou o título de quinta melhor franquia de fast-food do Brasil e a primeira no Nordeste, segundo a revista Pequenas Empresas Grandes Negócios. Apenas no ano passado, o faturamento chegou a R$ 100 milhões.

 

Expansão

Os planos para o empreendimento são ainda maiores para os próximos anos. A meta é estender para 200 unidades até 2017, adiantou o diretor da Bebelu. “Até final do próximo ano vamos chegar a 100 e entre 2016 e 2017 dobrar esse número”, declarou o empresário.No caminho atual para a expansão há dois focos: consolidar as regiões no norte do país e investir no mercado do Sul e Sudeste. Segundo Roni, apenas nesse mês 10 novas lojas irão ser inauguradas: quatro em Fortaleza, uma no município do Eusébio, uma em Iguatu, duas em Pernambuco e outras duas na Bahia, as primeiras no estado.O empresário atribuiu o sucesso da franquia aos ingredientes dos sanduíches, que segundo ele, são típicos do Nordeste, como frango, carne do sol, filé e frutas. “Antigamente existia muita rejeição para uma marca entrar no Sudeste, mas com a febre de produtos nordestinos, nós conseguimos. E deu certo. Para ter uma noção, o sanduíche mais vendido em São Paulo é de carne de sol com queijo coalho. Nossos concorrentes todos têm produtos básicos”, disse Rony.O empreendedor apontou como outro diferencial o controle total da produção. “Tudo é feito pela gente, desde a ponta. O pão é feito na nossa padaria, por exemplo. Nós temos a logística, a franchising e o call center”.

 

 

Por: Wolney BatistaFonte: Tribuna do Ceará