MyGloss, rede de bijuterias, cresce na boca do povo

Fundada há três anos, a rede de lojas de bijuterias MyGloss faturou 15 milhões de reais em 2013 priorizando o mercado brasileiro. Agora, o empreendedor Rodrigo Stocco se pergunta se chegou a hora de iniciar uma expansão para o exterior

São Paulo - A rede de lojas myGloss, especializada em acessórios como bolsas e bijuterias, tem uma trajetória incomum. A empresa só inaugurou a primeira loja em 2011, depois de acumular mais de 100.000 seguidores em sua página no Facebook, na qual estilistas da marca postam dicas de moda.

Estratégia da MyGloss

A estratégia do engenheiro Rodrigo Stocco, de 34 anos, dono da MyGloss, era formar uma lista de potenciais clientes antes de assumir despesas com pontos de venda e contratação de funcionários para as lojas físicas. "Deu muito certo", diz ele. "Quando inauguramos a primeira unidade, havia uma fila de clientes na semana de inauguração."

Hoje, a empresa tem 23 lojas no Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste e Norte e pretende abrir mais 35 nos próximos meses pelo sistema de franquia. O faturamento da rede em 2013 alcançou 15 milhões de reais, quase 50% mais do que em 2012. Com mais de 1,4 milhão de seguidores no Facebook, a MyGloss tornou-se um exemplo de marca capaz de gerar um bom engajamento nas redes sociais.

Em um estudo realizado no ano passado pela consultoria Dito, a MyGloss aparece na oitava posição entre as empresas com o maior número de fãs, atrás apenas de grandes marcas, como Havaianas, Cacau Show e O Boticário. "Costumo brincar que o modelo de negócios da MyGloss foi testado quase sem custos, somente usando o boca a boca gerado nas mídias sociais", diz Stocco.

Ele teve a ideia de criar a empresa depois de se tornar franqueado de uma rede de lojas de bijuterias. "Eu trabalhava com vendas em uma multinacional e queria me testar como empreendedor", afirma. "O resultado foi tão bom que resolvi largar o emprego e abrir uma marca própria."

Stocco chamou a irmã, Katia, que é estilista e arquiteta, para desenhar as bijuterias. "O fato de termos nosso próprio design é um diferencial em relação aos concorrentes", diz. Em seguida, o empreendedor criou uma página no Facebook para divulgar a marca. Para aumentar o número de seguidores e compartilhamentos de conteúdo, foram contratados estilistas para responder a dúvidas sobre moda.

Por Patrícia Lima
Fonte: Exame.com

Quinta Fevereiro 06, 2014

Tire suas dúvidas